Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
O Nariz e o Cigarro

Será que pensa em mim?
Entre um cigarro e outro
Entre um caso e outro
Eu acendo um cigarro
E a fumaça desenha seu rosto
Pernas esticadas na cadeira
Nariz de estátua grega
Não se faz poema pra nariz
Para Beth Lago talvez
Mas o nariz dela vale o risco
Será que pensa em mim?
Serei um amor partido
Ou um troféu na estante
De seu amargo coração
Amores partidos não existem
Amor só o é se for eterno
A brevidade é antônimo do amor
Paixões são breves e lindas
Mas amor é amor
Quem ama o faz até o nariz
Nariz não é digno de poema
Mas que ama não sabe disso
Pedi um free que agora é kent
Tudo muda na vida
Só não muda o amor
Será que ainda pensa em mim?
Sente falta de meu corpo?
Não... talvez de minha alma
Que não soube desvendar
Somos crianças de meia idade
Irresponsáveis e frívolos
Até o amor encontrar
Será que a piscina esta suja?
Ou encontrou alguém para limpar
Será que ainda pensa em mim?
Eu preciso parar de fumar
Eu queria parar de amar
Aquele nariz pontiagudo
Aquele gosto de tabaco
Eu preciso tentar recomeçar
Free agora é kent
Mas a fumaça é a mesma
Ainda que se mude o nome
O amor não se pode mudar
Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 23/07/2021
Comentários