Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Amigo morto

Amigo querido irmão
Que despedida inusitada
Quarenta e poucos anos de sorriso
São três décadas de amizade
Você resolve furar a fila
Deve ser pra chegar antes
Deve ser pra nos provocar
Talvez para preparar novas piadas
Talvez só pra poder descansar
Meu gordinho malacabado
Queria tanto mais tempo contigo
Amigo anjo protetor
Que me salvava das maiores roubadas
E olha que eu sempre aprontava
Meu querido amigo protetor
Queria mais um abraço de urso
Até nesse momento delicado
Sua lembrança me faz sorrir
Tantos cretinos com vaga marcada
E você antes resolve ir
Deve ser pra tirar um sarro
Deve ser pra zoar de nós
Marcus Filipe teu nome rodou o mundo
Jornalista do rock que tanto amou
Não sei se riu ou choro
Amigo pouco importa
Sua lembrança esta aqui
Que vida sem graça agora
Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 19/03/2021
Comentários