Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
O velho homem em 2022
O velho homem está novamente entre nós
Lhe tiraram tudo do brilho de outrora
Arrancaram sua liberdade em subterfúgios vis
Corromperam não só o homem
Mas a esperança de toda a nação
Eu já amei esse homem grotesco
Já o segui perdido em delírios de paixão
Eu já o odiei pelos erros de homem
Hoje sei que homens virtuosos também erram
Hoje maduro ele e eu nos encontramos
Na estrada esburacada que teimamos em trilhar
Mas vemos flores e esquecemos os espinhos
Porque o futuro se faz de sonhos e não de dores
E os erros se lançam em pétalas no caminho
Não há homens grandes em acertos
Sem grandes erros para consertar
Hoje não guardo paixão nem ódio
Paixão e ódio são irmãs siamesas
O amo sereno como homem pleno
Homem feito de povo no dna
Brasileiro que erra e sonha sempre
E ao seu lado espero voltar a sonhar
Sapo barbudo de tantas feridas
Suas chagas espúrias se fazem nossas
Puras inspirações para continuar a lutar
Declamo em versos seu nome oculto
Protejo em prosas o seu caminhar
Volte velho homem barbudo
Que a história lhe espera atenta
E o futuro da estrela o fará brilhar
Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 14/03/2021
Comentários