Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Sobre 2020

Os anos vão se acumulando
Os invernos se tornam mais longos
Os corações se tornam mais amargos
As noites infinitamente solitárias
E o sol amanhece cada ano mais frio
O ano que se vai macabro
Ceifou vidas aos milhares
Tantos filhos sem pais
Quantas lágrimas nesses lares
E tantos ensinamentos restaram
Apesar de tantos pesares
Aprendemos a sorrir com os olhos
Como são lindos os olhos
Quão lindas são as almas
O abraço cedeu ao alhar
Mas que saudade de abraçar
Quando esse ano acabar
Abraçarei as pessoas na rua
Beijarei bocas desconhecidas
Que esse ano me ensinou a amar
Amar o olhar
Amar o abraçar
Amar o beijar
E cantarei feito louco na praça
Rirei tanto até o ar faltar
Apenas vestes multicoloridas
Meu corpo irão cobrir
A luz só existe em razão da escuridão
Que o novo ano inunde o mundo de luz
Que caiam as máscaras do rosto e da alma
Mas que não se perca a sinergia do olhar
Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 31/12/2020
Comentários