Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Poema da Espera Dela
Esperei o amor verdadeiro
Esperei até cansar de esperar
Então esperei mais um pouco
Pois o que ha por derradeiro
É resiliência de saber esperar
E depois que esperei demais
Vi a brevidade do tempo de amar
Que ao coração não retorna jamais
Então cansei mesmo de esperar
Ainda sim a esperei mais um bocado
Quando percebi perplexo chocado
Que o amor somente rima no singular
Que as mãos tocaram o vazio
E que era solitário meu caminhar
De nobre o coração se fez vadio
Arredio que ainda teimava por esperar
Enfim o aço da espera rompeu a quimera
E o peito deste homem se fez dilacerar
Então chorei até cansar de chorar
Então chorei mais um pouco
Pois pouco havia mais que chorar
Foram tantas lágrimas derramadas
Tantas quantas cabem no mar
Aí decidi me lançar no mar
Nu na tempestade e só na vida
Só na praia e cheio da vida
Nada mais há que fazer
Apenas mergulhar fundo nesse mar
Sem vir a tona para respirar
E ir tão fundo quão impossível voltar  
Vestir as vestes geladas da escuridão
Afogar em sal esse coração
E enfim ter paz no seio da imensidão  
Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 30/11/2020
Comentários