Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Afetiva
Não é a palavra proibida no verso
O poema não se inicia com não
A beleza se reveste de sim
Sim me abro à beleza da vida
A vida se faz de renascimento
Renascer é renovar os votos do amor
Amor só o é com responsabilidade
Responsabilidade afetiva que se quer
Versos impessoais repletos de querer
Posto que querer é do homem é do ser
É buscar fundamentos de existir
No universo indescritível de amar
Sentimentos que a palavra vai revelar
Condutas nas quais se irá insistir
Prosas e versos já revividos
Histórias de amores reprimidos
Que a vida insiste em recriar
Verso repetido amor revivido
Vida de versos a se procriar
Jogo de palavras perdidas na pena
Que pena por palavras hoje desperdiçar
Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 25/11/2020
Comentários