Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Nossas letras
Insuportável beleza na fumaça do cigarro
Minha projeção de tudo que é belo no mundo
São tantas as cores que a vista se atrapalha
Os olhos dos anjos a alcançam eu não
Pois passei uma vida na sombra sem ver
Mas sempre estiveram sob meus olhos
Acho sempre as palavras certas
Batalha cujo orgulho é perder
Ser escravo dos sentidos do outro
Do cheiro que permanece na pele
No nosso peito aromas se confundem
Entre nosso peito e nosso cheiro
Ela tocou meus dedos e guiou os textos
Inexplicáveis sensações viveu
Que conheceu antes de me tocar
Sonhou com meu corpo no dela
Eu a fiz poetiza em vinho
E a fiz fêmea no peso das mãos
Quero o tabaco nos beijos
E o arrepio na nuca e alma
Ela é meu alfabeto
Meu amor de perdição
Caminho perdido no encalco dela
Me perco feliz na busca da ilusão





Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 18/11/2020
Comentários