Escravo das Paixões
Humano, demasiado humano
Capa Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Saudade ou saudades
Saudade
Indecifrável termo do vernáculo
Jóia preciosa da Língua Portuguesa
Hoje sou inteiramente seu
Cansei de trocar armas contigo
Venho aqui me ajoelhar
Me visto das belas vestes
Para louvar sua imponência
E consagrar sua vitória
Hoje eu me rendo
Ao seu sabor me entrego
E me curvo aos seus encantos
Não há palavras para descrever-te
Nenhuma além da absoluta saudade
Reverencio a magia da tua dor
Pela alquimia torta de minhas palavras
Quase não guardo saudade do passado
Me inflama uma saudade loira presente
O futuro sim me preenche de cachos
Essa saudade de um futuro incerto
Minha alma túrgida de futuro
São tantas as minhas saudades
Que desafio o próprio vernáculo
E as escrevo no plural
Saudades jamais serão singulares
Nem as paixões monolíticas
Saudade és deusa
Aceite esta humilde oferenda
Desse devoto infiel
Luís Carlos Pileggi Costa
Enviado por Luís Carlos Pileggi Costa em 28/10/2020
Comentários